quarta-feira, 17 de maio de 2017

AMOVELAR FILHO - Adolescente sofre bombardeio de mídia alinhada de prefeito

Sobre a morte da pequenina ICOdaS, a criança paraense de apenas pouco mais dois anos, que foi sim vítima de negligência hospitalar, o Blog retoma o caso principalmente por senso humanitário, colocando veementemente a verdade sob novos argumentos. O Blog faz reparo da denúncia publicada aqui, nesta última segunda-feira, 15. [Relembre AQUI]. De pronto, aponta-se o ato covarde da mídia do prefeito de Coroatá Luís Amovelar Filho (PT) que tenta livrá-lo da responsabilidade. Ao invés de propor a solução plena de outros aspectos da gestão social [que será exposta aqui em breve] e condução hábil do problema, prefere destilar, lamentavelmente, o seu veneno maligno de mídia palaciana [Chapa Branca] contra a própria vítima e agora contra a nossa reputação.

Veja só gente! A mídia "comunista" afirmou imprudentemente, entre outros despautérios, que a família mantinha costume de maus tratos contra ICOdaS. Maquiavelicamente, optou de público por cometer outro crime bárbaro contra uma pessoa incapaz : - Acusar a mãe, uma adolescente de apenas 16 anos. Alô Ministério Público - Isso é crime, não? Óbvio, o que se deve levantar [o que foi abordado pelo Blog desde o início] é o atendimento seguido de morte de uma criança pobre, de apenas dois aninhos, filha de uma pobre mãe pobre... Até porque, se houve maus tratos, quem tem as provas? [Deve ser, por rito processual, a parte que acusa, né?] E foram os maus tratos a causa da morte? - Não sejam ridículos!!!

O "X" DA QUESTÃO

O que o Ministério Público e a Justiça devem apurar é a responsabilidade do atendimento de saúde. Quanto à UPA, a Administração deve ter seguido o protocolo da regulação. Contudo, a sociedade precisa das seguintes respostas:

O que se apurou é que a criança, após a alta registrada pelo Macro no último dia 09, tomou medicação indicada [Existem testemunhas] e logo após começou a passar mal. Voltou para UPA e saiu morta. Aqui cabe outra linha de investigação. Será que a medicação receitada precisava de maior orientação ou esta orientação nem chegou ao conhecimento do responsável da criança? Quem foi o (a) médico (a) que fez a prescrição e deu a alta?

Enfim, o que restou à mídia chapa-branquismo e policialesca da Oligarquia Amovelar? - Dizer que o nosso Blog é de oposição - tentando politizar a coisa [quando não se tem qualquer contrato com grupo político algum]. Como a Administração parece não ter onde publicar seus atos, deixou blogs alinhados mentir que se omitiu a ajuda da Prefeitura [São tão descarados que nem tremem a cara, vendo no primeiro post deste Blog (último parágrafo) a referência ao trabalho do Município no caso].