segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Rodrigo Lago sem legitimidade...

  Arte: Asscom/Dep. Andréa Murad
Para Andrea Murad, Secretaria de Transparência desvia a sua finalidade e concentra esforços para perseguir adversários

A deputada Andrea Murad iniciou, nesta segunda-feira (03), o novo semestre de trabalhos legislativos questionando o papel desempenhado pela Secretaria de Estado de Transparência e Controle, cujo titular da pasta Rodrigo Lago, vem, segundo a parlamentar, coordenando "forças tarefas" no intuito de perseguir adversários políticos e imputar irregularidade a ex-gestores. Para a deputada, o secretário não possui legitimidade e imparcialidade para auditar a SES pelo fato do próprio Rodrigo Lago e seus familiares serem citados em investigação no caso Ópera Prima, que trata do desvio de recursos públicos na compra de medicamentos, denunciados à época pelo ex-deputado Ricardo Murad.

O relatório final do inquérito da Comissão de investigação de crimes contra o erário estadual diz que o Rodrigo Lago, o Aderson Lago, mais o Aderson Neto são acusados de comandar o esquema de desvio de recursos públicos. E quem denunciou todo esse esquema? Ricardo Murad, o mesmo que ele persegue hoje fazendo uma verdadeira devassa na Secretaria de Saúde como se ele tivesse alguma moralidade para requerer - advertiu Andrea Murad.

Uma prova do desvio de finalidade da secretaria, como denunciou a peemedebista, é que a pasta não investiga casos graves como o favorecimento de empresas em dispensas de licitações. No período de recesso, a deputada encaminhou ofício à Secretaria de Transparência e Controle que também investigue as várias irregularidades denunciadas pela oposição e imprensa. Ela citou o caso Detran, com a contratação e prorrogação do contrato, através de dispensa de licitação; a contratação por dispensa do escritório Sá Vale Advogados; assim como os devermos aluguéis efetuados com o valor acima do mercado. No total foram 18 casos em que a deputada Andrea Murad pede providências e informações relacionadas aos processos administrativos citados.

- Em primeiro lugar, se o governador Flávio Dino tivesse realmente um senso crítico, o Rodrigo Lago não era secretário de Transparência, venhamos e convenhamos, mas nesse Governo pode tudo e pode muito mais. Todos os dias, recebemos denúncias e encaminhamos para a Secretaria de Transparência tomar providências. E o que a Secretaria de Transparência faz? Absolutamente nada. Porque a secretaria, ratifico, foi criada para perseguir inimigos políticos e está ocupada em obedecer ao governador que quer porque quer perseguir o ex-deputado Ricardo Murad - disparou. Fonte: Asscom/Dep. Andréa Murad