terça-feira, 1 de setembro de 2015

O sofrimento do povo de Palmeira Torta

   Foto: Ronny Sales/Asscom PMC
Promessas a perder de vista. Foi assim o passado que cercou a vida dos moradores da Palmeira Torta, bairro populoso de Coroatá. Ainda no ano de 2004, o então prefeito de Coroatá Rômulo Augusto Moreira Lima conseguiu com muita luta angariar recursos para pavimentação e asfaltamento da avenida principal daquele bairro, obra que não pode ser executada em sua gestão devido a liberação da verba ter ocorrido já no final de seu governo. No dia 01 de janeiro de 2005, Rômulo entregou a Prefeitura ao seu novo gestor e junto em caixa estava o dinheiro necessário para a obra no bairro Palmeira Torta.

Do inicio do ano de 2005 até o final de 2012 todos aguardaram ansiosamente a chegada do asfalto no bairro, obra que nunca se realizou nos dois mandatos seguintes ao gestor Rômulo Augusto. Mas tarde, os recursos não foram justificados e tudo ficou por isso mesmo, há não ser por uma fina aspersão de breu aplicada no local. Os buracos tomavam cada vez mais de conta do acesso da avenida e o povo já havia perdido as esperanças de um dia ter o tão sonhado asfalto passando em sua porta.

SATISFAÇÃO POPULAR

Com a chegada da prefeita Teresa Murad em 2013 à Prefeitura, todas as esperanças se renovaram, e foi com a responsabilidade, capacidade e compromisso que a Palmeira Torta hoje pôde amanhecer sorrindo novamente. As máquinas estavam no lugar onde deveriam ter estado 10 anos atrás e moradores fizeram a festa.

- Antes eu pensava que nunca ia ver isso acontecendo aqui, mas quando a Teresa foi eleita eu tive a certeza que o asfalto vinha, não tive medo de falar isso aos meus vizinhos, e hoje tá aqui, a prova de que ela é séria e cumpre o que fala - disse seu Galego (foto acima) morador do bairro há mais de vinte anos. Da Asscom-PMC com edição do Blog